homedownloadsmeditaçãofavoritossobre o site quem sou
Sagradas Escrituras

Fonte: Secretariado Nacional de Liturgia


Reze
O Santo Rósario


Cursos Contraimpugnantes

Contraimpugnantes Blog

Pai de Amor



ANGÚSTIAS DE UM SACERDOTE


O texto que segue é apenas um capítulo de nosso próximo Livro, escrito a pedido de Nossa Senhora, com direcionamento dela. Aqui fala um sacerdote, e assumo as palavras dele. Seu nome não é revelado, entretanto, as palavras são efetivamente de um padre santo, que sofre horrores por não ter a liberdade de evangelizar como gostaria. No texto ele irá mostrar um a um, os motivos de sua angústia.
 
Agora me visto na pele de um sacerdote, e falo através do coração dele. Eu estive num seminário convivi com muitos padres já, e sei de muitas angústias de seus corações. Mas prefiro deixar de lado todas as questões da carne, as tentações horrendas, as batalhas interiores perdidas devido à fraqueza espiritual, à falta de oração – deles e para eles – e firmar-me apenas no sentido espiritual. Falo através do coração de um sacerdote que, também ele, vê sua e nossa Igreja despencar no abismo, e abeirar-se de um cisma gigantesco, contra o qual ele já nada pode fazer.
De fato, felizmente temos ainda na terra, alguns sacerdotes que são almas vítimas, que são verdadeiros mártires tentando fazer sobreviver seu sacerdócio santo, se poderia dizer divino, ao tempo em que um dilúvio de lama desaba sobre as Congregações e em especial sobre os padres diocesanos e até sobre os mosteiros! De fato, muitos deles perderam o rumo e a direção. Falo agora como um sacerdote:
Estamos vivendo uma realidade complexa e cheia de perigos que ferem gravemente a Santa Igreja Católica. Na realidade de hoje, como bem disse o Santo Padre, reina de modo exagerado o maldito relativismo religioso!
E eu particularmente, acrescento: está acontecendo uma acentuada aversão e mesmo repulsa contra tudo que faz parte da Tradição Católica, das verdades eternas, contra tudo que é sagrado e santo, em especial contra os Dogmas da Igreja. De fato, o inimigo a está assaltando e açoitando de todos os lados!
Hoje nós vivemos na América Latina uma crise de fé sem precedentes, que provém de um relativismo religioso, onde ninguém mais sabe qual o verdadeiro caminho a seguir. Onde está a Verdade? Onde está a Verdadeira Igreja de Cristo? Está com Pedro, ou está com setores modernistas das conferências episcopais? Sim, porque nós tratamos aqui de dois grupos cada vez mais separados e antagônicos! Diria já inimigos declarados!
Creio que toda esta confusão proveio de uma má interpretação do Concílio Vaticano II, que na verdade é ambíguo e esta ambigüidade tem sido extremamente nociva para a Igreja! Em termos de Doutrina, não existem meias verdades, nem inseguranças: Que o vosso dizer seja Sim e Não, o resto vem do diabo! Foi o que nos ensinou Jesus!
O Santo Padre vem na hora certa tentar resgatar o verdadeiro sentido, valor e missão da Santa Igreja que foi pisoteada por um sem número de “teólogos” e “doutores” durante e depois do Concílio, que deturparam o verdadeiro sentido e missão da Igreja. O erro deles foi justamente o deixar de condenar o comunismo e outros erros do mundo moderno, e bem pior em abraçá-los! E abraçar o erro cegamente, é caminhar para a morte eterna com ele!
 Vejam isso: A verdade é que o próprio Concílio não definiu nenhum dogma e conscientemente quis expressar-se em um nível muito mais modesto, meramente como Concílio pastoral; entretanto, muitos o interpretam como se ele fosse o super dogma que tira a importância de todos os demais Concílios.” (Cardeal Joseph Ratzinger, Alocução aos Bispos do Chile, em 13 de Julho de 1988)
Ou seja, este Concílio não definiu posições dogmáticas, como os de Trento e mesmo o Vaticano I, apenas sugeriu posições. No que deixou margem a distorções! Pois de suas erradas interpretações surgiram estas falsas ideologias, que geraram uma avalanche de heresias sem precedentes, resultando neste caos que se vê por aí.
Felizmente, nem todos foram enganados, pois “Não serão confundidos os que contam Comigo” porque “Todo aquele que n’Ele crer não será confundido” (Rm 10,11). Não fosse assim, a Igreja teria já explodido em milhares de pedaços!
Muitos foram enganados e mal entendidos na questão de Igreja. Por ex: Muitos jovens não gostam muito de ir à Igreja, devido os maus exemplos dos padres e bispos, e devido a tanto testemunho negativo que se dá por aí. Os jovens poderão ter até razões neste aspecto, mas isso não justifica a sua falta de gratidão e amor para com a Santa Igreja.
Logo, mesmo se muitos padres e bispos erram, não significa que a Igreja erra. Quem erra são os filhos, que são membros da Igreja. E há muitos filhos que são membros da Igreja ensinando e fazendo coisas erradas. Mas a Santa Igreja em si nunca erra! Nunca errou! Os seus filhos sim... E de fato, nós pastores “provamos” esta verdade aos jovens de hoje, quando não lhes damos antes, testemunho de vida!
Infelizmente, na Igreja Católica ainda existe o veneno herético da Reforma protestante cujo slogan era: “Cristo sim, Igreja não”. Isto é impossível e foi muito combatido pelo Papa Paulo VI: “Quem não ama a Igreja, não ama Jesus Cristo”. E amá-la implica em conhecê-la, respeitá-la, obedecer-lhe, servi-la e dar a vida por ela!
A Igreja é a Esposa de Cristo, e por ela, Ele derramou o seu Sangue (Ef 5,26).  É das Sagradas Núpcias que fala a Escritura: “... E os dois formarão uma só carne...” (Mt 19, 5. São Francisco de Sales dizia que “Jesus, a Igreja e o Papa são um só” É impossível dividi-los. Eles são a “pedra angular” Lc 20,17) da humanidade, do mundo a salvar.
Experimente falar isso para um padre ou bispo moderninho de hoje, para ver o que acontece. Ele sairá contigo nas costas! Tentará te esmagar! Isso quando é preciso ensinar e defender a Santa Igreja! Ela “é o lugar em que a humanidade deve reencontrar a sua unidade e a sua salvação”, assim ensina o Catecismo. Mas o que vemos hoje é muita gente pregando e apostando em um cisma, especialmente separando a América Latina do comando de Pedro. O que seria um monumental desastre para ambos os lados!
A Igreja é santa e incorruptível (Ef 5, 27). Ela é santa e santificadora! A santidade da Igreja é fonte de santificação dos seus filhos, que aqui na terra se reconhecem, todos, pecadores, sempre necessitados de conversão e de purificação. Mas a santidade só lhe vem pela oração humilde e contrita, pela verdadeira caridade cristã, pela fidelidade aos seus Dogmas e princípios imutáveis. Pela vivência santa e amorosa dos Sacramentos!
O que dizem os padres modernistas? Que a Igreja é pecadora! Sim a falsa igreja que eles criaram esta não somente é pecadora como abortiva! É bastarda! Uma entidade em si não peca: só os membros que a constituem! Bispos e padres é que pecam! E leigos!
Se o Presidente de um Sindicato comete um crime, quem vai para a cadeia, ele, ou se prende o Sindicato? Pessoas é que erram! Falam assim, porque estão com a alma transbordando de pecados, dentre eles o maior, a desobediência ao Santo Padre! Depois a falta de amor à Santa – sempre Santa – Igreja! E vem a seguir o desprezo pelos documentos dela, e a zombaria contra tudo aquilo que faz parte da sã Doutrina!
A Igreja é depositária e mestra da nossa fé. Lamentavelmente, o próprio Catecismo Católico está sendo desprezado e esquecido. Isso quando o saudoso Papa João Paulo II, de venerável memória, confirmou ser ele, “um instrumento válido e legítimo a serviço da comunhão eclesial e como uma norma segura para o ensino da fé. Este Catecismo lhes é dado a fim de que sirva como texto de referência, seguro e autêntico, para o ensino da doutrina católica e de modo muito particular para a elaboração dos catecismos locais”.
Catecismos locais? Mas acaso o ensino de Moral e Cívica tem a ver com Doutrina e com fé? Acaso o ensino deste ecologismo exacerbado é doutrina de salvação das almas? O que tem a Igreja de Jesus Cristo a ver com isso? Acaso Jesus nos ensinou a preservar os camelos do Sinai? As cabras do deserto de Fará! Mas são exatamente estas coisas que constam dos “catecismos” de certas dioceses! Onde ensinam tudo, menos como salvar uma alma!
Mas, quem afinal não sabe disso? Por que os Padres não mais ensinam as grandes verdades Eternas e até as desprezam? Por que os Bispos se calam diante desta inércia e nem mais obedecem ao Santo Padre, que é a boca pela qual fala o próprio Cristo? E falam pelas bocas deles e das Conferências Episcopais, que são chagas abertas no coração da nossa Igreja! Porque se tornaram nichos de poder paralelo e desobediente.
Olhem a imensa responsabilidade: se eles foram constituídos por Cristo, unicamente para ensinar a verdade e a virtude, para combater a heresia e o pecado, por que então, tantos Bispos se calam, se acomodam e ficam inertes quanto ao que o Papa ensina, e combate? E pior ainda, eles induzem as ovelhas ao abismo! Agem como lobos!
Como justificar a um Bispo que participa com mulheres quase nuas em um carro de escola de samba? Como justificar a outro que faz campanha aberta em favor da maçonaria, isso quando a verdadeira Igreja continua condenando esta associação. Quando a Igreja afirma que é pecado grave, qualquer um destes atos? Vai pregar moral ao povo como? Como quer que o povo se converta, se ele se perverte?
E quanto à condenação de abusos nas Missas, pior ainda. A maioria age como se o Papa nada tivesse dito na Encíclica Ecclesia de Eucharistia e na Declaração Redemptionis Sacramentum. Na Mane Nobiscum! Na Misericórdia Dei! Na Domius Iesus! Na Rosarium Virgini Mariae! Todos, documentos vitais para a Igreja! Tudo desprezado e pisoteado!
A mesma desobediência se vê em matéria doutrinária. E se Padres e Bispos não obedecem ao Papa, Supremo Pastor, mesmo quando ele ensina infalivelmente a verdade, por que o fiel deveria respeitar as heresias ensinadas por certos Padres e Bispos? Se uma Conferência ensina erradamente, que obrigação tem um padre ou leigo de segui-la?
É aqui que vejo as feridas e as angústias da Santa Igreja! Esta é, também, a ferida e a angústia de meu coração sacerdotal: ver o verdadeiro desprezo com que já a maioria dos padres e dos bispos trata as coisas da Verdadeira Igreja de Pedro! Eles somente querem saber de novidades, de ações sociais para aparecer, enquanto matam a Deus! E enquanto o povo se perde por falta de conhecimento da Doutrina de salvação eterna.
Por que o Motu Próprio do Venerável Papa João Paulo II a Misericórdia Dei não foi acolhido e aplicado? Onde estão os confessionários obrigatórios nas igrejas? Onde o incentivo à Confissão Sacramental? Onde os dias próprios para confissão em todas as paróquias? Faz já quatro anos desta ordem! Não é pedido: é ordem da Igreja! E bispos e padres são soldados da Igreja e devem cumprir suas ordens! Ou já são desertores?
Por que eles não obedecem agora, imediatamente a ordem de rezar o “Pro multis” na Consagração do vinho? Só padres velhinhos é que cumprem isso! Pior ainda: estão mudando as palavras da Consagração! Pior ainda, em Aparecida, recentemente, um padre simplesmente passou do Ofertório direto para o Pai Nosso, com o maior descaramento. E quando interpelado, disse que isso logo será geral. Estão tramando isso mesmo? Desta forma, nós temos, não somente um lobo, mas já toda uma alcatéia no galinheiro!
Recebi vários convites para um “revigoramento teológico” para todos os padres novos, e quem é o pregador? Um ex-padre! Felizmente, foi um convite, não uma ordem. Então não fui! Não será isso o mesmo que colocar um cabrito para cuidar da horta? O que é mesmo que uma pessoa falida em seu ministério tem para nos ensinar? Dar um contra testemunho de vida? Ensinar exatamente o que um padre não deve ser! Nem fazer!
De modo especial, nos tempos atuais, uma das virtudes que mais têm sido falsificadas pelo maligno, é exatamente a obediência. Sem dúvida alguma, a verdadeira obediência é de um valor incomparável, sobretudo a obediência dos padres e bispos ao Papa.
E para serem dignas de serem obedecidas, estas autoridades devem ser acima de tudo santas e virtuosas. Devem antes, eles também serem obedientes ao Papa e fiéis á Santa Igreja! Assim, jamais será verdadeira virtude a obediência a ordens más, ou seja: que contradigam a Doutrina, a Fé ou a Moral Católica. Mas é isso que muitos padres têm feito! Não têm mais discernimento e acham que obedecendo ao bispo no erro, estão com a verdadeira Igreja. Quando isso a corrói como um cancro.
Mais ainda: não devemos nos calar quanto a isso, pois “quando o pastor se transforma em lobo, compete primeiramente ao rebanho se defender” (D. Guéranger). Mas quantos entendem isso? Quantos são capazes de, usando a correção fraterna como ensinou Jesus, admoestar aos que erram, e não segui-los no erro?
Disse-me um padre que prefere cair com a Igreja a se salvar sem ela. Ora isso é uma prova de cegueira, e uma mentira de satanás. Primeiro porque a Igreja nunca cairá de todo – Jesus prometeu isso – e segundo porque não há como se salvar sem ela – Jesus afirma isso! Tais justificativas são pífias, e até ridículas! Mas soam bonito e enganam!
Vivemos no tempo dos Seminários vazios! Dioceses e Congregações centenárias, já não têm mais vocações. Faz sentido! Com a falta de Testemunho de Vida Sacerdotal e dos bons exemplos de Vida Religiosa, não há como despertar vocações.
Ora, as vocações sacerdotais começam com os padres santos. Que são exemplos de vida e santidade para os meninos! Ao contrário, as imoralidades, o relaxamento, a falta de caridade, são testemunhos negativos que afastam os candidatos.
E não adianta sequer a família incentivar, porque nenhum menino pensará em seguir o exemplo de um mau sacerdote! De um padre frustrado! Que vive irado! Que atende mal as pessoas! Que é um orgulhoso e pensa que nunca erra! Que acha que sabe tudo por se dizer “teólogo”, quando nada sabe, e nada entende de Deus! Porque não ama a Deus!
Quantos sacerdotes hoje se tornaram azedos, ácidos! Não aceitam que ninguém lhes diga nada! Julgam-se quase deuses em suas pérfidas teologias! Fecham-se cada vez mais em seu abismo de cegueira, chegando até a negar os milagres de Jesus Cristo! Negam-se a confessar as pessoas, dizendo que não existe mais pecado! Porque estão abarrotados deles! Acham mesmo que se, por conta própria fecharem o inferno isso acontece?
É difícil encontrar hoje em dia, um padre que ame o Santo Padre e que ame e lute pela Igreja Una Santa, Católica e Apostólica. É como procurar uma agulha no palheiro. Para qualquer um que toco neste assunto já faz bico e mostra azedume! Mas se um padre não defender a Igreja, e não obedecer ao Papa como poderá ela subsistir em unidade?
Agem de fato como se o Papa fosse um inimigo a ser combatido e a Igreja fosse veneno a ser evitado. Ingratos! Quando a missão por voto deles todos, é exatamente defender a Santa Igreja e o Santo Padre, que felizmente, está resgatando o valor da Sã Doutrina e da Tradição Apostólica. Como o exemplo da volta da Missa antiga, em Latim! Mas é tido por “desqualificado”!  Quando é fiel e santo! Quantos equívocos! Quanta cegueira!
Um fato horrendo acontece entre os próprios padres, vejo isso e sinto isso! Trata-se do esmagamento que alguns exercem sobre os outros! Primeiro o ódio que é comum entre as diferentes ordens do clero! Depois o ódio dentro da própria Congregação, onde os padres se desejam mal, se tratam como inimigos e desejam também que os outros peguem funções ou paróquias ruins, especialmente que sejam indicados para paróquias pobres, onde sofram privações. Que horror isso! Eu mesmo sou criticado pelos amigos!
Outro fato horrendo se trata na perseguição que os maus padres exercem sobre os bons, os que querem levar uma vida de santidade. E lançam chistes contra eles: lá vem o santinho! Lá vem o “oremus”! Lá vem o mariano! E riem, num escárnio velado e mordaz! Zombam dos padres santos, dos que ainda rezam, dos que têm devoção especial a Maria!
Sinto, do mais fundo de minha alma, que estes escárnios e zombarias ferem mais profundamente ao coração de Deus, do que se naquela hora tais padres – em seu ódio – tomassem de um revolver e os matassem! Na maioria dos casos é pura inveja! Noutros a necessidade tormentosa de nivelar os padres ao mínimo, porque eles se sentem mal na presença dos bons padres! A santidade é um dedo em riste apontado contra o pecador!
Está em Sabedoria 2, 12 Cerquemos o justo, porque ele nos incomoda; é contrário às nossas ações; ele nos censura por violar a lei e nos acusa de contrariar a nossa educação. 13 Ele se gaba de conhecer a Deus, e se chama a si mesmo filho do Senhor! 14 Sua existência é uma censura às nossas idéias; basta sua vista para nos importunar.
Ou não é assim?! Vejo como são odiados por seus pares, os sacerdotes que lotam Igrejas! Quando eles mesmos têm suas igrejas vazias, porque são maus! São ácidos! Como podem atrair as pessoas? Muitos têm até medo do padre! Quem se sente bem perto de um padre iracundo? E como ele, sendo mau, edificará para o bem? Com que direito pregará o Evangelho do Amor, aquele que não ama? Ora, o Evangelho se vive com a vida! Quem não vive o Evangelho, não tem direito de pregar sobre ele! Nem mesmo sendo um sacerdote!
É doloroso ver as almas sendo enganadas pelos próprios pastores! Pois eles mesmos estão enganados! Foram mal formados nos seminários modernistas por lobos teológicos! E se pode dizer: Os pastores estão na Vinha do Senhor sem conhecer o Senhor da Vinha! Pensam que são eles os donos da vinha. Grande engano, pobres coitados! O Senhor virá em breve cobrar os frutos do arrendamento, ai de quem plantou joio no meio da seara divina! Ai de quem não combateu o joio! Será cortado e lançado com ele no fogo!
Muitos se consolam, dizendo que este atual Papa Bento XVI é passageiro, é de transição e muitos torcem para que sua morte não demore. Com isso se fazem réus da Justiça divina! Réus de eterno delito! Esperam por um Papa mais novo, mais liberal, mais moderno e aberto. Aos que assim pensam, digamos: “Que Deus os repreenda!”
Sabemos que os padres e bispos são verdadeiros canais da Graça Divina, mas infelizmente muitos destes canais estão hoje obstruídos, porque já desligados de Pedro, a “Pedra”! E desligados de Pedro, se tornam estrelas errantes! No que se batem contra a Rocha! Ai de quem fizer isso: será esmagado! Foi o que nos alertou São Pedro!
Como está dito na carta de Judas 1, 12:... São nuvens sem água, que os ventos levam! Árvores de fim de outono, sem fruto, duas vezes mortas, desarraigadas! 13 Ondas furiosas do mar, que arrojam as espumas da sua torpeza! Estrelas errantes, para as quais está reservada a escuridão das trevas para toda a eternidade!  Sim, caso teimem até o fim em seu desvario! Eles, de fato, provocam a ira Santa e Justa de Deus!
É lamentável ver os pastores agindo em contradição com Pedro, deixando povo se perder, e mesmo induzindo-o ao erro. Permitem a comunhão a divorciados e amasiados, quando a Igreja proíbe! Promovem missas show, quando o Papa proíbe! Sou testemunha de ver pessoas amasiadas servindo o Santo Altar e sendo ainda “ministros extraordinários da Comunhão”. Outros vivem irregularmente, mas servem aos seus bispos, enquanto os Diáconos ficam assistindo! Quantas aberrações!
Vi um senhor Bispo omitindo Dogmas de Fé em “culto ecumênico” ocupando o horário próprio da Santa Missa, e deixando com isso o povo sem a Eucaristia! Com isso ele está enganando seu rebanho e levando-o a cometer o pecado contra o Terceiro Mandamento! Quem toma providências contra estes desmandos? Mas fazem isso porque sabem que o Papa já não tem condições de expulsar a todos! Como merecem!
Há muitos padres e bispos que são já incapazes de demonstrar amor e adoração ao Santíssimo Sacramento, como é que para fazer “outras coisas” eles sabem? Tomar bons vinhos, por exemplo! Receber passes de “pai-de-santo”! Visitar ecumenicamente um terreiro de macumba, ou centros espíritas e adentrar em lojas maçônicas! Tem Deus ali?  Não, só Belzebu e é este que buscam? É este o exemplo e o alimento que dão para as suas ovelhas? Pasto nojento! Veneno!
Vejo um número cada vez maior de Padres com repulsa da Santa Confissão! Dizem que basta “uma vez por ano”! Hipócritas! Muitos, nem eles mesmos se confessam uma vez por ano! Isso é mandamento da Igreja e não mera sugestão! O que os mantém em pecado grave! E desta forma comungam todos os dias em que celebram (se ainda celebram?). São, pois sacrílegos, e celebram sacrilegamente! Para orgulho, delírio e alegria de satanás!
Na verdade, sinto que a imensa maioria dos padres nem sabe mais discernir entre o que é pecado grave e leve. Como podem aplicar a devida penitência na confissão? Soube de um padre que além de não absolver, apenas abençoar, como “penitência” manda que o fiel deixe de ler sobre coisas religiosas e faça uso dos “florais de Bach”! Ouviram bem? Dois pecados graves ele mesmo comete, a cada pessoa que “confessa”.
Então, depois de embrutecidos em suas consciências, lhes é fácil tratar tudo como falta leve, ou nenhuma, quando com isso cometem falta grave. Não entendo como é que eles não têm coragem de dizer que, o ato de descumprir a qualquer um dos cinco mandamentos da Igreja é falta grave! Como, por exemplo, faltar a Missa aos domingos e dias santos. Como não pagar honestamente o dízimo! Parecem tremer de pavor em falar sobre isso, no que deixam as ovelhas na ignorância. E pagarão as contas delas depois!
A Santa Igreja também ordena que os fiéis comunguem ao menos uma vez por ano na Páscoa do Senhor! Mas devem se confessar antes! Para comungar em estado de Graça! É então preciso que os padres ensinem a todos esta doutrina preciosa! Confissão deve ser no mínimo mensal! No padre, deve ser diária se possível! Como nós pecamos!
Mas acontece o contrário! Será que é preciso que os leigos ensinem os padres a cumprir o Motu Próprio Misericórdia Dei? Que ordena a atender as confissões cada vez que o penitente o desejar! E sem glosas! E sem exigências! E com amor verdadeiro!
Desta forma, os padres e bispos estão vivendo à custa da Santa Igreja ao invés de viverem para a Santa Igreja, seguindo o exemplo de Cristo que deu a vida por ela. Tiram o sangue dela, quando deveriam dar-lhe o seu! Tornam-se para ela em pedras de tropeço! No que somente fazem desonrá-la e destruí-la, como fazem os hipócritas.
Faz pouco tempo, perguntei a um padre, o que ele pensava sobre o aborto, ele me respondeu: “olha só quantas crianças abandonadas! Colocar uma criança no mundo é uma grande responsabilidade! Não podemos negar o aborto e deixar nascer mais uma para ficar sofrendo aqui”.  Bastou isso para saber com que tipo de pastor estava lidando! Pastor não, lobo sanguinário! Lobo porque desobediente, pois não é esta a Doutrina da Santa Igreja! Sanguinário porque incentiva este crime hediondo, de lesa-Deus! Que antes este padre de escândalo caia fora da Igreja Católica! Pois está dito: ai de quem escandalizar!
Cada vez que encontro padres com estes comportamentos de aversão para com a Santa Igreja, para com o Santo Padre vejo que dão largos sorrisos para tudo o que (Deus) a Igreja proíbe. São orgulhosos, e se acham donos da verdade! Donos da teologia!
Quando já apostataram! Ó meu Deus, quanta frieza nestes corações! Quanta falta de amor, de santidade e de caridade! E justo estes que só falam em solidariedade e em pobres marginalizados! Nunca vi uma cara de pau tão grande! Uma hipocrisia tão aguda!
Por tudo que observamos, eles estão vivendo em pecado grave, que está ocupando o lugar da Graça! Por isso se fecham para Deus cada vez mais! Deste modo muitos deles não têm mais gosto pela oração, pelas coisas de Deus e nem pela Igreja! Não conseguem mais atinar com a verdade, porque se fecharam de todo à ação do Espírito Santo.
De fato, entre eles descobri horrores. Um grande número deles gosta muito mais da “igreja” de heréticos e apóstatas como os Boffs & Bettos. E tanto os admiram que com a maior desfaçatez, dizem que Boff ainda será canonizado! Pela Igreja de Pedro nunca, só se pela igreja latina que Boff quer criar! Quem sabe aí o canonizem!
Ora, a história se repete e o fim dela todos já sabem: Também uma vez no Céu certo anjo rebelde, se fez estrela cadente ao desafiar a Deus, querendo ensinar o Criador a governar o Universo. Quem desafia o santo Padre, desafia a Igreja de Cristo e já não é Igreja! Já está excomungado dela “latae sententie”, e não deve ser ouvido, nem seguido.
Ou tomará o mesmo rumo dos seguidores de Lúcifer. Infelizmente, como está dito: o dragão varreu com sua cauda, 1/3 das estrelas do Céu! A história está se repetindo! Como Jesus não estará triste com este terrível estado de coisas!
Sinto – como sacerdote católico – do mais fundo de meu coração que temos muitos bispos que percebem isso, que estão vendo a desgraça desabar sobre a Igreja, mas agora não têm coragem, ou vergonha de voltar atrás e abominar seus erros. Recomeçar com os mesmos passos da Igreja de antes do Vaticano II, isso os faria redimir-se! Há também muitos e bons bispos, que nunca concordaram com estes erros, mas sendo a minoria são sufocados pela voz das conferências episcopais. Ou se calam!
Isso tudo me é tão angustiante, que parece que nada mais posso fazer para reverter esta situação, só é possível com a intervenção divina! Sei que uma gota de água não apaga um incêndio. Mas ai de mim se não fizer minha parte! Serei queimado junto! E escrevendo estas coisas, pelo menos desabafo meu coração!
Como vejo que tudo avançou demais, percebo que a ordem, agora é: esperar, rezar e confiar. Sei que no fim a Igreja verdadeira, a de Bento XVI, vencerá! As profecias precisam se cumprir e já se cumprem! É visível que tudo isso faz parte da grande apostasia final, para que se revele o mistério da iniqüidade, já predito nas Escrituras e anunciado pelos profetas. O orgulho teológico, a falsa doutrina modernista, relativista e comunista produziu todos estes frutos podres!
E será como previu o profeta Ezequiel no capítulo 7, 7 Tua vez é chegada, habitante da terra! É vindo o momento, o dia está próximo.. é o pânico. 8 Vou em breve.. julgar-te segundo o teu proceder; farei cair sobre ti o peso das tuas abominações... Pedirei conta de teu proceder... Tua vez chegou. A vara floriu o orgulho produziu seus frutos!... 12 Chegou o tempo o dia se aproxima!
Tudo isso me angustia, e sei que também angustia ao Santo Padre! Vejo-o cada vez mais isolado, e a cada dia com menos gente fiel ao seu lado! Fazem pouco caso dele e mais que isso, fazem o contrário daquilo que ele pede.
Finalizando, eu tenho a certeza plena de que a verdadeira Igreja triunfará depois de “passadas todas estas coisas”. Perdão, se eu fui muito duro ao condenar tantos erros, mas se o faço é no sentido de acordar aos que dormem. Este sono é mortal!
Rezem por mim! Rezem por todos os sacerdotes que se tornaram guias cegos a conduzir cegos! E enfim eu suplico: Vem, Senhor Jesus?

Leia também: Um padre em Paróquia Pobre

fonte: Recados do Aarão