homedownloadsmeditaçãofavoritossobre o site quem sou
Sagradas Escrituras

Fonte: Secretariado Nacional de Liturgia


Reze
O Santo Rósario


Cursos Contraimpugnantes

Contraimpugnantes Blog

Pai de Amor



O Respeito humano (retirado dos escritos de Catalina Rivas "A Porta do Céu")

Quero vos falar do respeito humano. Eu disse aos Meus Apóstolos que permanecessem fiéis durante as perseguições. Que chegaria um tempo em que quem os matasse, estaria certo de fazer um obséquio a Deus. Assim foi, os inimigos da fé acreditavam Me oferecer um grande presente matando os cristãos. Isto é também o que fazem hoje em dia muitos que se chamam cristãos; matam suas almas, perdendo a graça do respeito humano para satisfazer desta maneira aos amigos do mundo. A quantos desventurados tem enviado ao inferno o respeito humano, que é o maior inimigo de sua salvação! Por isso, agora vou instruir-vos sobre o muito que vos importará desprezar o respeito humano e de como deveis fazer-vos superiores a eles.

Quanto mal causam ao  mundo os escândalos, não é verdade? Ai do mundo por causa dos escândalos! Se bem que Eu disse que, não pela malícia do homem é forçoso que haja escândalo, então como será possível viver no mundo e evitar escândalos? Com efeito, não é possível viver no mundo sem escândalos. No entanto, é possível evitar a familiaridade com os escandalosos para poder opor-se aos seus maus costumes e seus conselhos depravados. Do contrário, pelo respeito humano, não podereis contradizê-los e imitareis seus maus exemplos.

Escutai, filhinhos. Estes amantes do mundo, não apenas exibem sua iniquidade, mas o que é ainda pior, querem ter companheiros e fazem troça dos que vivem como verdadeiros cristãos, que se afastam dos perigos de Me ofender. Este é um pecado que Me desagrada muito e o proíbo de um modo especial. Em Eclesiástico 8, 6 encontrareis que vos digo: não olhes com desprezo ao homem que se afasta do pecado e não o lances em rosto ou escarneças dele para arrastá-lo a imitar tua vida desordenada. Estão preparados os terríveis juízos de Deus para castigar aos escarnecedores e as marretas para triturar os corpos de tais insensatos, nesta e na outra vida. Eles escarnecem de Meus filhos e Eu escarnecerei deles por toda a eternidade no inferno. Eles procuram envergonhar os Santos diante dos homens mundanos e Eu os farei morrer envergonhados e depois os enviarei a viver entre os condenados, cercados de eterna ignomínia e de tormentos intermináveis.

É uma maldade muito grande a daqueles que, não só não se contentam em Me ofender, mas que querem também que os outros Me ofendam. Com muita frequência realizam seus maus desígnios, porque encontram um grande número de almas tíbias e fracas que abandonam o bem e abraçam o mal, para não serem objectos de escárnio dos malvados.

Quantos de Meus filhos, para não ouvir: "Olha só o santinho!" e outras expressões semelhantes que os fazem objecto de gozação entre seus maus amigos, imitam seus vícios e desordens. Quantos também, se recebem alguma afronta, decidem se vingar, não tanto pela paixão da ira, mas por respeito humano; isto é, para que não os considerem por homens fracos. Quantos, depois de se lhe escapar da boca algum comentário escandaloso, não se desmentem, como deveriam, para não perder o prestígio que têm entre os outros. Quantos, por medo de perder o favor de algum amigo, vendem a alma ao demónio — como o fez Pilatos, que Me condenou à morte por medo de perder a amizade do César.

Sabei, Meus filhinhos, que se quereis vos salvar, deveis desprezar o respeito humano e o rubor que podem vos acarretar as caçoadas que fizerem de vós os Meus inimigos. Porque, como digo nas Escrituras, há vergonha que conduz ao pecado e há também vergonha que traz a glória e a graça. Lede Eclesiástico 4, 25. Se não quiserdes sofrer com paciência esta última, ela vos conduzirá ao abismo do pecado; mas se a sofrerdes por Mim, merecereis por ela Meu divino amor e, depois, uma glória eterna no Paraíso.

Perguntar-se-ão alguns: por quê haverão de me perseguir se eu quero salvar minha alma? Mas Eu lhes respondo: que não há remédio e que é impossível que deixe de ser perseguido aquele que Me serve, porque os ímpios abominam aos que seguem o caminho da salvação. Os que levam uma vida licenciosa aborrecem aos que vivem bem, porque a vida destes é uma repreensão viva da má vida deles.

O soberbo que quer se vingar do menor ultraje que recebe, deseja que todos se vinguem das afrontas de lhes fazem; o avaro, que aumenta o dinheiro à custa de injustiças, quereria que todos fizessem outro tanto; o bêbado, quereria que todos se embriagassem como ele; o luxurioso, que se vangloria de suas obscenidades e cujas palavras respiram imundície, quereria que todos agissem e falassem como ele. Todos esses homens desordenados qualificam àquele que não age como eles, de homem insociável, ruim e grosseiro, sem honra e sem crédito. Os homens do mundo não sabem falar senão a linguagem do mundo. São uns pobres cegos, obcecados pelo pecado e mau hábito que lhes fazem falar a linguagem dos demónios.

Assim, não cabe se ter ilusões sobre o particular. Todos os que querem viver virtuosamente, hão de padecer perseguição do mundo; todos os santos foram perseguidos.

Talvez alguém diga: eu não faço mal a ninguém, por quê não me deixarão em paz? A quem incomodaram os santos e mártires se estavam cheios de caridade e amavam a todos os homens? Assim é, apesar disso, ninguém ignora como o mundo os tratou: destroçou-os com unhas de ferro, maltratou-os com ferros incandescentes e, finalmente, fizeram-nos perecer nos tormentos. E Eu, a quem fiz mal? Apesar de consolar, de curar, ressuscitar mortos e redimir a todos à custa de Meu sangue e de Minha vida, o mundo Me maltratou, Me caluniou, Me perseguiu até fazer-Me morrer entre agonias no patíbulo mais infame e ignominioso, próprio somente de escravos e dos piores homens.

Pequena, aprende… As máximas do mundo são completamente opostas às Minhas. O que o mundo aprecia, é loucura diante de Mim; e o mundo chama loucura ao que Eu creio digno de apreço: os trabalhos, as doenças, os desprezos, os sofrimentos, a ignomínia. A quem se envergonhar de Mim no mundo, Eu direi: agora Me envergonho Eu, afasta-te de Mim, maldito, vá para o inferno unir-te aos teus companheiros que se envergonharam de seguir Minha doutrina. A esses filhos digo: Tu que não queres ser caçoado por teus amigos, não te importas de ser odiado por Mim?

Deveis saber que se não se despreza o mundo, este irá desprezar e degradar vossas almas. Mas, que é o mundo e todos os bens que ele vos oferece? Tudo o que há no mundo, é concupiscência da carne e vãos desejos. Que são as ricas vezes senão lodo? Que são as honras senão fumaça? Que são os deleites carnais senão imundície? E depois, de que vos servirão todas essas coisas se vos condenais? Aquele que Me ama e quer se salvar deve desprezar o mundo e todos os respeitos humanos. É preciso que cada um se esforce o quanto possa para conseguir este objectivo. Muitos devem fazer violência consigo mesmos. Maria Madalena, para vencer os respeitos do mundo quando se lançou aos Meus pés na presença de tanta gente, lavou-Me os pés com suas lágrimas e os enxugou com seus cabelos. Deste modo, tornou-se santa e mereceu que Eu lhe perdoasse seus pecados e ainda louvasse o grande amor que Me tinha (Lucas 7, 47).

Um grande santo, um dia levava debaixo da capa uma panela de comida para os pobres encarcerados; no caminho se encontrou com seu filho, montado a cavalo pomposamente, em companhia de outras pessoas. O santo teve certa vergonha de que vissem o que levava escondido mas, o que acham que fez para vencer este respeito humano? Pegou a panela e a colocou sobre a cabeça para que todos a vissem, assim caçoando do mundo. Quanto caçoaram de Mim? Na Cruz fui escarnecido pelos soldados que diziam: se és Filho de Deus, desce da cruz. Escarneceram também os Sacerdotes, que diziam entre si: a outros salvou e não pode salvar a si mesmo. Mas apesar destas troças e de que podia tê-los confundido fazendo um milagre, quis terminar Minha vida na Cruz, ensinando-vos a vencer o respeito humano.

Filhos Meus, consolai-vos, porque quando os homens vos maldizem e escarnecem, é então que Eu vos louvo e bendigo. Não vos basta serdes louvados por Mim, pela Rainha do Céu, por todos os anjos, pelos santos e justos? E se isto vos basta, deixai que digam o que quiserem os mundanos e continuai dando-Me alegria, que Eu vos premiarei, tanto mais na outra vida na medida em que vos tiverdes violentado para desprezar as chacotas e contradições dos homens. Cada um deve se comportar como se no mundo não houvesse mais espectadores do que Eu e ele. Quando os ímpios caçoarem de vós, encomendai a Mim esses pobres cegos que andam perdidos miseravelmente e dai graças, que vos dou a luz que nego a tais desterrados, para que sigais pelo caminho da salvação.

Agora, para vencer estes respeitos, é necessário que tenhais firme em vosso coração a santa resolução de preferir Minha graça a todos os bens e favores do mundo; que digais, como São Paulo: nem a morte, nem a vida, nem os anjos, nem os principados… nem outra criatura poderá jamais separar-nos da caridade de Deus. Eu vos exorto a que nada temais dos que podem tirar-vos a vida temporal, mas temei ao que pode lançar ao inferno alma e corpo. Ou Me seguis ou seguis ao mundo. Se Me seguis, é preciso que abandoneis o mundo e suas vaidades, que é o que dizia Elias ao povo.

Meus verdadeiros filhos têm grande prazer quando se vêem desprezados e maltratados pelo amor que Me têm. Pensa, Moisés bem podia ter se libertado da ira do Faraó, deixando correr a fama divulgada de que ele era seu neto; mas o negou publicamente e escolheu ser perseguido com os outros hebreus, julgando que o opróbrio por Mim era um tesouro maior que todas as riquezas do Egipto.

Algumas vezes se apresentarão a vós os amigos de nome e vos dirão: Que extravagâncias são essas tão ridículas? Por que não fazes o mesmo que os outros? Então devereis responder-lhes: nem todos fazem o mesmo que a multidão; há alguns que levam uma vida santa, mas esses são poucos e não vós. Replicai com satisfação: Eu quero seguir a esses poucos, porque diz o Evangelho: muitos são os chamados, mas poucos os escolhidos. Também vos dirão os falsos amigos: Não vês que todos comentam e caçoam de ti? Então vos responderão: Contento-me com que Deus não caçoe de Mim.

Quando for necessário repreender a esses satélites do demónio, convém ter coragem e repreendê-los sem consideração alguma. Porque quando se trata de Minha honra, não se deve impor a qualidade e categoria daquele que peca, mas deveis dizer-lhe com coragem: isso é pecado e não deves dizê-lo.